Usuário: Senha:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS  
19/10/2020
 
..................................................
19/10/2020
 
..................................................
19/10/2020
 
..................................................
  NOTÍCIAS  
 LPD - 2012 - Agua Verde - Campeão Municipal ...
 
Dois gols e um título inesquecível.
Com uma grande atuação, meio-campista do Água Verde recorda os bons momentos vividos em 2012.
Por Jornal de Pomerode/Esporte - Publicado em 02/10/2020 14:40
-Água Verde e Floresta decidiram o Campeonato Municipal daquele ano (Arquivo JP)
Naquela tarde ensolarada, um jogador pomerodense teve uma atuação memorável, em uma partida que ficou marcada para a história do futebol pomerodense.
Na oportunidade, o camisa 8 do Água Verde, Djalmo Bittencourt Júnior, ajudou a sua equipe a conquistar o 3º Campeonato Municipal de Futebol Adulto Masculino.
O confronto, realizado no Estádio Leopoldo Krueger, em Testo Alto, terminou com o placar favorável aos donos da casa, diante do Floresta, por 4 a 2.
Hoje, com 34 anos, o meio-campista relembra com carinho daquela competição e, principalmente, da decisão, disputada no dia 25 de novembro de 2012.
“Aquela foi uma final ‘de verdade’, ainda mais contra o Floresta, que sempre foi um grande adversário. Eu lembro que, antes do jogo, houve uma pressão enorme, tanto que os primeiros cinco minutos foram de muito nervosismo”, pondera. “Por causa disso, tivemos medo, sim, de perder esse título, afinal, o jogo estava difícil e o Jota errou um pênalti, ainda no primeiro tempo. Aquilo nos abalou um pouco, mas com a cabeça no lugar e ‘pé no chão’, organizamos o jogo e veio o grande título para o Água Verde”, complementa.
Na partida decisiva, dois momentos foram muito importantes para Júnior: os dois gols, marcados no segundo tempo, que abriram o caminho para a conquista.
“Eu estava numa época boa e naquele jogo, estava muito bem e confiante. Fazer dois gols na final, contra o Floresta, sendo um deles um golaço, com casa cheia, posso dizer que foi muita adrenalina”, destaca o inspetor de montagem e testes da Netzsch Moagem.
Outro ponto destacado pelo jogador foi poder dedicar o título a seu filho Fellipe, que ainda não havia nascido, na época.
“Hoje, com sete anos, meu filho é a razão do meu viver. Infelizmente, os passos dele não estão indo em direção ao futebol, mas vamos ver se o pai consegue mudar isso ainda”, enfatiza, aos risos. Lembranças estão frescas na memória de Júnior (Foto: Divulgação)
O futebol na sua vida.
Júnior começou muito cedo a correr atrás da bola. Aos cinco anos, iniciou no Futsal e, aos poucos, foi construindo a sua trajetória.
“Cheguei a jogar no profissional do Juventus, mas alguns imprevistos me fizeram pegar outro rumo, como estudar e buscar o mercado de trabalho. Mas, como não poderia deixar de ser, mas continuei jogando no Amador. Hoje, chegando nos meus 35 anos, pretendo jogar o Veteranos, algo não ‘tão sério’. Mas você sabe que, quando se entra em campo tudo fica sério, né?”, ressalta.
Por tudo isso que viveu, o atleta não poupa elogios ao elenco campeão municipal de 2012.
“Tenho consideração a todos que me apoiaram, que acreditaram em mim e agradecimentos aos clubes em que passei, pela oportunidade de vestir as camisas de cada um. Só que essa equipe do Água Verde tinha um grande diferencial: a união, dentro e fora de campo. E isso foi fundamental para a conquista daquele título”, finaliza Júnior.
Equipe do Água Verde, campeã municipal em 2012 (Foto: Arquivo JP)
A decisão.
O dia estava muito propício para a disputa de uma decisão. Por causa disso, o público se fez presente ao Estádio Leopoldo Krueger, no dia 25 de novembro de 2012, para acompanhar a partida final do 3º Campeonato Municipal de Futebol Adulto Masculino - Troféu Mário Luetke (in memoriam), entre Água Verde e Floresta.
Os visitantes começaram melhor e, logo aos dois minutos, Gabriel sofreu pênalti do zagueiro André. Ele mesmo foi para a cobrança e tirou o primeiro zero do placar.
No entanto, o gol não abalou os donos da casa, que foram para cima, em busca do empate. Se não fosse o goleiro Badé, o time de Testo Alto poderia ter marcado, uma vez que, aos 38 minutos, houve outra penalidade máxima, de Maranhão, em cima de Oséias.
Porém, o arqueiro florestino foi mais feliz e defendeu o chute de Jota.
Na segunda etapa, o Água Verde voltou mais determinado, tanto que conseguiu o empate, por meio de Gérson, de cabeça, aos 13 minutos, após cruzamento de Oséias. Oito minutos mais tarde, Júnior colocou os donos da casa na frente, num chute que entrou no ângulo, sem chances para o goleiro Badé.
Jogador marcou duas vezes, na partida decisiva (Foto: Arquivo JP)
Com o placar adverso, não restou alternativa para o Verdão do Centro, senão partir para o ataque. Tanto que conseguiu empatar novamente a partida, por meio de Lipinho, aos 29 minutos, em cobrança de falta da meia-esquerda, que encobriu o goleiro Gimi.
Os visitantes tiveram mais algumas chances, mas quem marcou foi o Verdinho.
Aos 42 minutos, Badé fez pênalti em Gérson. Desta vez, Júnior foi para a cobrança e não desperdiçou, colocando o time na frente novamente. Com a torcida já comemorando, ainda houve tempo para mais um gol do Água Verde, por meio de Gérson, que fechou o placar em 4 a 2, vitória que garantiu o título inédito do 3º Campeonato Municipal de Futebol Adulto Masculino ao time de Testo Alto, de maneira invicta.
Os três primeiros colocados, receberam troféus e medalhas. Também foi destinada uma premiação especial aos destaques da partida: Júnior (Água Verde) e Gabriel (Floresta).
A artilharia da competição ficou também com Gabriel, que anotou nove gols ao longo do campeonato.
Já o goleiro menos vazado foi Jimi, do Água Verde, com sete gols sofridos. Ambos receberam troféus por suas marcas.
Comemorando o segundo gol, de pênalti (Foto: Arquivo JP)
Galeria de fotos: 5 fotos
Créditos: Arquivo JP


Ler mais sobre esta notícia
 
Data: 02/10/2020
Fonte: LPD-JP
ANUNCIO